Comunidade Cinéfila Portuguesa

2014 é o ano que vê nascer o Cinetrofa, o festival internacional da Trofa que pretende celebrar a literatura e o cinema como um só e a interacção entre ambos. Esta iniciativa, com o apoio da Associação Portuguesa da Turismologia e do Munício da Trofa traz uma surpreendente selecção de filmes a nível mundial, prometendo uma programação ocupada durante quatro dias.

Há dois prémios distintos a competir que se subdivide em longas e curtas-metragens, premiando o melhor Based On Novel (BON), isto é, a melhor produção baseada numa obra literária maioritariamente dominado por Portugal e Brasil mas que traz igualmente "Trois Contes de Borges" de França e "Explica’m Un Conte" de Espanha. Já na selecção BON de curtas-metragens o Cinetrofa traz um leque variado tendo em competição filmes de Japão, EUA, México, Reino Unido entre muitos outros. O Cinetrofa premeia também o melhor documentário com um total de 19 produções a serem exibidos durante o festival, a acontecer na Casa da Cultura e no Auditório AEBA.

O Cinetrofa não se fica por aqui e traz também uma extensão de exibições durante o festival desde sessões temáticas, exibindo grandes nomes como Jacques Demy, Wim Wenders ou Alain Resnais, a exibição especial de “Pecado Fatal” de Nuno Reis, sessões infantis, talks e masterclasses, prometendo a presença de Richard Zimmler a 2 de Outubro, e ainda a exposição de Agostinho Santos "Itenerário Da Inquietação", baseado em José Saramago, exposto na estação ferroviária da Trofa.

José Saramago, o nobel literário português, não é obviamente esquecido e será homenageado nesta primeira edição do Cinetrofa, com uma série de exibições baseadas em obras do português, trazidas pela Fundação José Saramago, com Karen Shakanazarov, um dos mais importantes realizadores russos, e Fernanda Matos, a estrela de Aniki Bobo de Manoel de Oliveira, os restantes homenageados, com uma série de exibições dedicadas.

O Cinetrofa acontece de 1 a 4 de Outubro e muitas são as razões para visitar a Trofa este fim-de-semana.

É já conhecido que as relações entre os EUA e a Rússia não são as melhores e, como sempre, a produção de Hollywood acompanha tendências e vive-se uma onda onde há um crescente número de filmes onde os vilões são russos e que retrata a Rússia como um país corrupto onde homens de negócio servem políticos (pura ficção, claro).

A verdade é que a Rússia já notou esta recente tendência e não está contente. O The Hollywood Reporter publicou hoje uma série de chamadas do parlamento russo para limitar ou mesmo banir os filmes americanos. "Retórica anti-Rússia está presente, confundindo os mais novos" diz Vladislav Grib numa dessas chamadas, apresentando também a defesa do cinema russo como argumento, uma vez que filmes de Hollywood têm vindo a afastar as audiências da produção nacional.

Numa dessas chamadas, também o realizador russo Yuri Kara propõe banir totalmente filmes norte-americanos do país até que os EUA retirem as sanções aplicadas no âmbito da anexação da Crimeia por parte de Vladimir Putin. "Hollywood iria fazer pressão sobre Obama e ele iria tirar as sanções".

Com o mercado de Hollywood em crise, as exportações são mais importantes que nunca e a Rússia é actualmente o sexto maior mercado cinematográfico, tendo registado em 2013 um total de 75% de filmes americanos no seu mercado..

O anúncio foi feito esta tarde no Festival Internacional de Cinema de San Sebástian na presença habitual de Ramón Colom, presidente da FAPAE (Associação Espanhola de Produtores Audiovisuais), acompanhado por Joxé Portela (vice-presidente da FAPAE), Carlos Juaréz (presidente da EPE-APV) e de Raimon Masllorens (presidente da PROA).

A FAPAE começou a conferência de imprensa por salientar a percentagem de filmes espanhóis presentes nesta edição do San Sebastian de 40%, assegurando que, apesar da crise económica do país, o público espanhol ainda vai ao cinema.

Apesar da média de orçamentos para longas-metragens ter caído de 3 milhões de euros, relativos ao ano de 2009, para 1.3 milhões de euros, referentes a 2013, a popularidade percentual do cinema espanhol atingiu no passado dia 21 de Setembro o valor de 23.6%; o maior de sempre da história, esperando-se atingir os 25% até ao final do ano com lançamentos como Marshland, REC 4 e Torrente 5 ainda previstos.

Colom justifica estes resultados com uma maior comercialização do cinema feito mas que, segundo o próprio, "não têm necessariamente de ser maus" utilizando "El Niño" como exemplo. "Estes não são mais o tipo de filme cliché que dá uma imagem estereotipada de Espanha. Estamos felizes com o estado actual do cinema".

Joshua Oppenheimer é um documentarista desde 1998 mas só o ano passado atingiu a popularidade após o lançamento do polémico documentário Act Of Killing, que acompanha e recria histórias de ex-assassinos em série, a mando do ditador da Indonésia.

Este ano o norte-americano regressa ao circuito dos festivais de cinema apresentando tanto em Veneza como em Toronto o novo documentário "The Look Of Silence" que retrata uma família que sobreviveu ao genocídio na Indonésia em confronto com o homem que matou um dos seus irmãos, fazendo até ao momento as delícias da crítica.

Em reconhecimento do seu trabalho, a Fundação MacArthur atribuiu a 17 de Setembro os Fellows, prémio que reconhece as mais importantes figuras nos mais variados campos. Além do poeta Terrance Hayes e de Alison Bechdel, Joshua Oppenheimer foi galardoado com o prémio Genius Grant devido ao seu “modo único de filmagem que mistura o real com o inventado”, um prémio que além do elevado prestígio vem acompanhado de um prémio de 625000 dólares.

Composto por 6 profissionais e administrado por Joelle Levia, presidente da academia de cinema belga, o júri foi unânime em escolher a nova longa-metragem dos irmãos Dardenne "Two Days, One Night" para representar a Bélgica na próxima edição dos Oscars na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.

Distribuído nos EUA pela IFC Films, a probabilidade de sucesso no outro lado do Atlântico foi pesada principalmente pela presença actriz Marion Cotillard (na imagem), vencedora de um Oscar em 2008 pela participação em La Vie En Rose, mas também pela popularidade que tem atingido as salas e a crítica norte-americana desde a sua estreia no Festival de Cannes no passado mês de Maio, tendo desde então feito parte do circuito de festivais de cinema americanos tais como Telluride e Toronto e já confirmado no New York Film Festival e AFI Festival, a decorrer nas próximas semanas.

Deste modo, os Dardenne irão representar pela quarta vez o seu país nos Oscars após Rosetta (1999), The Son (2002) e The Child (2005). Os finalistas serão conhecidos no dia 15 de Janeiro com a cerimónia de entrega a acontecer no dia 22 de Fevereiro no Dolby Theatre em Los Angeles.

O festival espanhol San Sebástian, um dos mais importantes do circuito de festivais de cinema europeu, arranca hoje, 19 de Setembro, com a estreia do filme "The Equalizer", de Antoine Fuqua, um filme que não entra em competição mas conta com a participação de Denzel Washington no elenco que irá neste festival, juntamente com Benicio Del Toro, receber o prémio Donostia que todos os anos celebra a carreira e contributos importantes para o cinema.

Mais uma vez o festival conta com uma selecção rica de onde se destacam “The New Girlfriend” do incansável François Ozon, "Phoenix" de Christian Petzold, "Eden" de Mia Hansen Love ou "Aire Libre" de Anahí Berneri.

Esta edição do festival irá também ficar marcada pela ausência do realizador Oleg Sentsov, parte do júri oficial, devido a encontrar-se actualmente preso em Moscovo desde o final de 2013 por ter entrado em confrontos na cidade-natal Kiev, na Ucrânia, sendo acusado de transportar explosivos e incendiar um prédio público, que o realizador entende não passar de apoio aos protestos contra a anexação da Crimeia pela Rússia.

A Academia de Cinema Europeu, da qual fazem parte realizadores como Wim Wenders, Mike Leigh ou Pedro Almodovar, enviou uma carta aberta a Vladimir Putin em manifestação ao seu acto abusivo, solicitando segurança no tratamento do realizador activista. Estes apresentaram também uma queixa no Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.

Assim, a história do festival de Berlim de 2011 repete-se quando foi deixava uma cadeira vazia em protesto à prisão de Jafar Panahi (Isto Não É Um Filme). Além do realizador ucraniano, fazem também parte do juri Nastassja Kinski, Mariana Rondón, Marjane Strapi, Reinhold Vorschneider, Vlad Ivanov e Eric Khoo, sendo o vencedor conhecido a 27 de Setembro..

image

Estreado na passada quinta-feira, a adaptação de João Botelho a "Os Maias", de Eça de Queirós, tornou-se já o terceiro filme mais visto do ano contabilizando um total de 13.915 espectadores, segundo o Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA).

Sucedendo à também adaptação literária "Filme do Desassossego", de 2010, que terá conseguido apenas 5600 espectadores nas duas primeiras semanas, o filme do realizador português aparece logo após "Sei Lá", de Joaquim Leitão, com 61.730 espectadores, e "Ruas Rivais", de Márcio Loureiro, com 33.900 espectadores, na lista dos filmes portugueses mais vistos em 2014.

A Ar de Filmes e o produtor Alexandre Oliveira justifica este sucesso não só ao acompanhamento escolar que a obra literária tem mas também ao laço que João Botelho criou com o público, indicando que “tem conseguido fazer essa ponte” entre o cinema e o público, ao contrário do restante cinema de autor.

Estreado já em 12 cidades e 22 ecrãs e com um orçamento de 1,5 milhões de euros (600 mil de apoios públicos à produção, 170 mil da Câmara de Lisboa, 120 mil do congénere brasileiro do ICA e mecenato do banco Montepio), o filme irá percorrer o país junto do público escolar durante o mês de Novembro, tendo também marcada uma estreia no Brasil e na RTP para 2015 em formato mini-série. 

Foi ontem em Riga, capital europeia da cultura 2014 e onde irá ocorrer a cerimónia de entrega dos prémios, que a European Film Academy apresentou os 50 filmes candidatos a nomeação para os 27º European Film Awards. Com 31 países representados, a selecção mostra mais uma vez a diversidade do cinema europeu.

Selecção oficial:

Alienation [+] by Milko Lazarov
Amour Fou [+] by Jessica Hausner
Beautiful Youth [+] by Jaime Rosales
Bird People [+] by Pascale Ferran
Blind [+] by Eskil Vogt
Blind Dates [+] by Levan Koguashvili
Calvary [+] by John Michael McDonagh
Cannibal [+] by Manuel Martin Cuenca
Class Enemy [+] by Rok Biček
Concrete Night [+] by Pirjo Honkasalo
Dreamland by Petra Volpe
Fair Play [+] by Andrea Sedlackova
Turist (Force Majeure) [+] by Ruben Östlund
Frank [+] by Lenny Abrahamson
Girlhood [+] by Céline Sciamma
Goodbye to Language [+] by Jean-Luc Godard
Home from home – Chronicle of a Vision [+] by Edgar Reitz
Human Capital [+] by Paolo Virzí
Ida [+] by Pawel Pawlikowski
In Order of Disappearance [+] by Hans Petter Moland
Kertu. Love is Blind by Ilmar Raag
Leviathan [+] by Andrey Zvyagintsev
Life in a Fishbowl by Baldvin Zophoníasson
Living is Easy With Eyes Closed [+] by David Trueba
Locke [+] by Steven Knight
Macondo [+] by Sudabeh Mortezai
Miss Violence [+] by Alexandros Avranas
Mr. Turner [+] by Mike Leigh
Nymphomaniac Director’s Cut – Volume 1 & 2 [+] by Lars von Trier
Of Horses and Men [+] by Benedikt Erlingsson
Papusza [+] by Joana Kos-Krauze & Krysztof Krauze
Starred Up [+] by David Mackenzie
Still Life [+] by Uberto Pasolini
Stratos [+] by Yannis Economides
That Lovely Girl by Keren Yedaya
The Dark Valley [+] by Andreas Prochaska
The Kindergarten Teacher [+] by Nadav Lapid
The Lamb [+] by Kutlug Ataman
The Tribe [+] by Myroslav Slaboshpytskiy
The Wonders [+] by Alice Rohrwacher
Two Days, One Night [+] by Jean-Pierre & Luc Dardenne
Under The Skin [+] by Jonathan Glazer
Violette [+] by Martin Provost
Walesa [+] by Andrzej Wajda
We Are The Best! [+] By Lukas Moodysson
When Evening Falls on Bucharest or Metabolism [+] by Corneliu Porumboiu
White God [+] by Kornél Mundruczó
Winter Sleep [+] by Nuri Bilge Ceylan
Wolf [+] by Jim Taihuttu
Wounded [+] by Fernando Franco 

Nas próximas semanas os mais de 3000 membros da Academia irão votar nas diversas categorias, sendo os nomeados conhecidos 8 de Novembro no Seville European Film Festival em Espanha, sendo a cerimónia de entrega no dia 13 de Dezembro em Riga, onde se destacam "Winter Sleep", vencedor em Cannes, o regresso de Jean-Luc Godard ou a polémica de Lars Von Trier.

Chá e Godard no domingo chuvoso da Bruna Cecília Oliveira.
Envia-nos fotografias das tuas sessões de cinema, tanto em sala com em casa, aqui.